20 de setembro de 2020, 16h03

🔴 COVID-19: o que se passa em Portugal e no mundo

Clube

As principais notícias oficiais, desportivas e generalistas sobre o coronavírus nos jornais e sites nacionais e internacionais.

[EM ATUALIZAÇÃO]

A pandemia COVID-19 parou e mudou o mundo desportivo, financeiro e político. Acompanhe aqui EM DIRETO as principais notícias oficiais, desportivas e generalistas do que se passa em Portugal e no mundo.

20 de setembro

Boletim dgs

PORTUGAL: RTP 1 [14h08] Portugal com mais 552 casos e 13 óbitos. Nas últimas 24 horas, Portugal contabilizou 552 novos casos de Covid-19, 13 óbitos e 192 recuperados.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, dez dos óbitos foram registados em Lisboa e Vale do Tejo e três na região Norte.

A maioria dos novos casos foram registados no norte do país (273), seguido de Lisboa e Vale do Tejo, com mais 179 infeções, 35 no Alentejo, 33 no Algarve e 29 no centro.

Portugal conta agora com 511 doentes internados (mais 14 do que no dia anterior), dos quais 63 nos cuidados intensivos (menos um do que no sábado).

Há ainda a registar mais 347 casos ativos, para um total de 21 069.

Desde o início da pandemia, Portugal contabiliza 68 577 casos confirmados, 1 912 óbitos e 45 596 recuperados.

19 de setembro

Boletim DGS 19 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h03] | Mais 849 novos casos de infeção. "Há um novo recorde de novos casos de COVID-19 em Portugal. Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde registaram mais 849 pessoas infetadas com o novo coronavírus e mais cinco óbitos associados à doença.

maior aumento ocorreu na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT): mais 439 infeções identificadas. Segue-se a região Norte (mais 288), o Centro (66), o Algarve (35), o Alentejo (16) e a Madeira (cinco).

faixa etária 50-59 é a que regista o maior aumento, com 242 novos casos.

O número de casos ativos também aumentou (mais 493).

As pessoas dadas como recuperadas protagonizam o outro recorde deste sábado: são 351, o maior número desde o dia 23 de julho (quando se registaram 370).

Quanto ao número de mortes, o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde aponta mais cinco: quatro na região Norte e uma na região LVT.

Um dos óbitos corresponde a uma pessoa na faixa etária 70-79, enquanto os restantes quatro são pessoas com mais de 80 anos de idade.

Olhando para os números absolutos, Portugal conta até agora 68 025 casos confirmados de COVID-19, dos quais 1899 não resistiram e 45 404 conseguiram recuperar."

18 de setembro

Relatório DGS 18 de setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h46] | 780 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim desta sexta-feira a existência de um total de 1894 mortes e 67 176 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1888 para 1894, mais 6 do que na quinta-feira. Todos na região de Lisboa e Vale do Tejo.

O número de infetados aumentou de 66 396 para 67 176, mais 780 casos nas últimas 24 horas."

17 de setembro

DGS Relatório 17 de setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [15h14] | Mais 770 casos de infeção, o valor mais alto desde 16 de abril. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim desta quinta-feira a existência de um total de 1978 mortes e 66 396 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1878 para 1888, mais 10 do que na quarta-feira (5 na Região Norte, 2 no Centro, 2 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 1 no Alentejo). É o número mais elevado desde 3 de julho, dia em que foram registadas 11 mortes.

O número de infetados aumentou de 65 626 para 66 396, mais 770 casos nas últimas 24 horas. É o valor mais alto desde 16 de abril, quando foram registados 750.

Em vigilância estão 37 804 contactos, mais 517 do que na quarta-feira.

Os dados indicam ainda que 480 pessoas com COVID-19 estão internadas nos hospitais (menos duas em relação a quarta-feira), das quais 59 (menos duas) em unidades de cuidados intensivos.

Nas últimas 24 horas 266 doentes recuperaram, pelo que 44 794 pessoas já superaram da infeção desde o início da pandemia em Portugal."

16 de setembro

Relatório DGS 16 setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h01] | Mais 605 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) registou nas últimas 24 horas mais três mortes e 605 novos casos de COVID-19 em Portugal. De acordo com o boletim diário da DGS, Portugal está neste momento com 19 220 casos ativos.

Desde o início da pandemia, as autoridades de saúde registaram 65 626 casos positivos da doença, dos quais 1878 morreram e 44 528 recuperaram. As três vítimas mortais registadas nas últimas 24 horas ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo e todas tinham mais de 80 anos.

Os dados das últimas 24 horas representam o maior aumento na faixa etária entre os 30 e os 39 anos, com 107 infetados, e 65% dos novos casos registam-se entre os 20 e os 59 anos.

Ainda de acordo com o boletim da DGS, estão 482 pessoas internadas (mais quatro) com COVID-19 nos hospitais, das quais 61 em cuidados intensivos (mais duas).

As autoridades de saúde mantêm em vigilância 37 287 contactos, mais 332 do que na terça-feira."

15 de setembro

Boletim DGS 15 de setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h05] | Mais 425 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta terça-feira a existência de um total de 1875 mortes e 65 021 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1871 para 1875 , mais 4 do que na segunda-feira. O número de infetados aumentou de 64 596 para 65 021, mais 425.

Nas últimas 24 horas registou-se mais 1 internamento, aumentando para 478 o número de pessoas com COVID-19 internadas nos hospitais, enquanto os doentes nas unidades de cuidados intensivos são menos 2, num total de 59.

De ontem para hoje recuperaram 177 doentes, pelo que 44 362 pessoas já superaram a infeção desde o início da pandemia em Portugal.

Em vigilância estão 36 955 contactos, mais 197 em relação a segunda-feira."

14 de setembro

Boletim DGS 14 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h42] | Mais 613 novos casos de infeção. "Nas últimas 24 horas, a Direção-Geral da Saúde registou mais quatro mortos e 613 infetados com COVID-19.

De acordo com o relatório da DGS, há neste momento 18 540 casos ativos da doença em todo o país.

O documento dá conta ainda de um aumento de 25 casos internados em unidades hospitalares. Há agora 477 pessoas internadas, 61 das quais em cuidados intensivos (mais quatro do que no domingo).

Das quatro vítimas mortais, três registaram-se no Norte e uma na região de Lisboa e Vale do Tejo."

13 de setembro

Boletim DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [14h06] | Mais 673 novos casos de infeção. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou este domingo a existência de um total de 1867 mortes e 63 983 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1860 para 1867, mais 7 do que no sábado (seis na região de Lisboa e uma no Norte).

O número de infetados aumentou de 63 310 para 63 983, mais 673.

Em vigilância estão 36 398 contactos, mais 343 em relação a sábado."

12 de setembro

Relatório DGS 12 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h01] | Mais 497 novos casos de infeção e mais 250 recuperados. "Portugal regista, este sábado, mais cinco mortes e 497 novos casos de COVID-19. Há agora mais 34 internados, e mais cinco em unidades de cuidados intensivos.

Um dos óbitos devido à doença foi registado no Norte e os outros quatro na região de Lisboa e Vale do Tejo, que apresenta 49% do total de novos casos no país, secundado pelo Norte com 36%. Uma das vítimas mortais tinha entre 60-69 anos, três entre 70-79 e uma tinha mais de 80 anos.

De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS), desde o início da pandemia já foram confirmados 63 310 casos do novo coronavírus em território nacional e 1860 morreram devido à doença.

O relatório desta sexta-feira, com dados atualizados até às 00h00 de sexta, mostra uma subida de 250 no número de recuperados, para um total de 43 894 (69% dos casos confirmados)."

11 de setembro

Relatório DGS 11 setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [13h53] | 687, o número de novos casos mais alto desde 16 de abril. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta sexta-feira a existência de 1855 mortes e 62 813 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1852 para 1855, mais 3 do que na quinta-feira (duas mortes foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo e outra teve lugar na região do Algarve).

O número de infetados aumentou de 62 126 para 62 813, mais 687, o número de novos casos mais alto desde 16 de abril.

Em vigilância permanecem 35 712 contactos, mais 531 do que na quinta-feira.

Há mais 203 pessoas recuperadas da doença, totalizando 43 644.

O número de internados desceu para 404 (menos dois) e o de doentes em internamento nas Unidades de Cuidados Intensivos baixou para 54 (menos três)."

10 de setembro

Relatório DGS 10 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h42] | Mais 585 novos casos de infeção. "O boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) regista, nas últimas 24 horas, mais três mortos e 585 infetados com COVID-19.

De acordo com o relatório, há agora mais 425 casos ativos em Portugal, sendo agora 16 833 no total.

Desde o início da pandemia, já foram confirmados 62 126 casos de COVID-19, dos quais 43 441 já recuperaram. Há a lamentar a morte de 1852 pessoas."

António Costa

PORTUGAL: TVI24 [13h54] | "COVID-19: as novas medidas de contingência." "O primeiro-ministro, António Costa, apresentou esta tarde o novo pacote de medidas de contingência aprovado pelo Conselho de Ministros [em vigor a partir da meia-noite de segunda-feira], numa altura em que, segundo referiu em conferência de imprensa, 'nas últimas semanas tem havido um crescimento sustentado da pandemia'. A saber:

  • Os ajuntamentos passam a ser limitados a 10 pessoas.

  • Estabelecimentos comerciais não podem abrir antes das 10h00, mas haverá exceções. A hora de encerramento dos estabelecimentos passa a ser entre as 20h00 e as 23h00, por decisão das câmaras municipais.

  • As áreas de restauração nos centros comerciais passam a ter um limite máximo de quatro pessoas por grupo.

  • Fica proibida a venda de bebidas alcoólicas nas estações de serviço e a partir das 20h00 em todos os estabelecimentos, com exceção dos que servem refeições. Está igualmente proibido o consumo de bebidas alcoólicas na via pública.

  • As escolas, que abrem em regime presencial entre 14 e 17 deste mês, devem adotar planos de contingência e ter desinfetantes e equipamentos de proteção individual disponíveis, seguindo, de resto, as normas da Direção-Geral da Saúde. Nos cafés e pastelarias até 300 metros das escolas, passa a haver um limite máximo de quatro pessoas por grupo de forma a evitar ajuntamentos de alunos.

  • Os recintos desportivos, conforme já tinha sido avançado esta semana, vão permanecer sem público.

  • Estarão disponíveis brigadas distritais de intervenção rápida para contenção e estabilização de surtos em lares, conforme também já tinha sido avançado pelo Executivo.

  • Nos locais de trabalho, o Governo pretende que haja equipas em espelho, com escalas de rotatividade entre teletrabalho e trabalho presencial. Pretende-se ainda o desfasamento de horários de entrada e saída, bem como de pausas e refeições."

Portugal

"Os estabelecimentos comerciais só podem abrir após as 10h00 e terão de encerrar entre as 20h00 e 23h00, conforme decisão municipal, quando na terça-feira o país entrar em situação de contingência, anunciou o primeiro-ministro.

De acordo com António Costa, haverá 'exceções' em que será possível o comércio abrir antes das 10h00, tendo avançado como exemplos 'pastelarias, cafés, cabeleireiros e ginásios'.

Quanto ao horário de encerramento dos estabelecimentos, passará a ser obrigatoriamente entre as 20h00 e as 23h00, cabendo a cada município a determinação da hora exata, 'em função da realidade específica do seu concelho'.

COVID-19

As Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto vão ter medidas específicas, desde rotatividade entre teletrabalho e trabalho presencial ao desfasamento de horários, a partir de terça-feira, no âmbito da situação de contingência devido à COVID-19.

'Relativamente às Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto, é necessário fazer um esforço acrescido para evitar a concentração de pessoas, quer nos transportes públicos, quer nos locais de trabalho', afirmou António Costa, recordando que o risco de incidência da COVID-19 é mais elevado nestas duas áreas metropolitanas, 'por terem maior densidade populacional'.

Além disso, o Governo aprovou, na generalidade, 'para consulta pelos parceiros sociais, um conjunto de medidas que visam a organização do trabalho em espelho', com escalas de rotatividade entre teletrabalho e trabalho presencial."

9 de setembro

PORTUGAL: TVI24 [15h07] | "Público no futebol não será certamente nos próximos tempos." "A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, diz que o regresso do público ao futebol 'não será certamente nos próximos tempos'.

Na conferência de Imprensa sobre a COVID-19, Graça Freitas foi questionada pelos jornalistas sobre quando voltará a haver público no futebol e quando poderão reabrir as discotecas. A responsável explicou que essas duas atividades terão de ficar para um momento posterior.

'Público nos estádios e reabertura das discotecas não será certamente nos próximos tempos, temos de ver esta grande experiência que é o retorno às aulas e qual será o seu impacto nos números', disse Graça Freitas, frisando a 'grande mobilidade social' que a reabertura das escolas implica.

Já na semana passada, a diretora-geral da Saúde tinha dito que o regresso do público ao futebol teria de esperar.

Os números da COVID-19 em Portugal esta quarta-feira não são animadores. O relatório regista mais três vítimas mortais e 646 infetados, maior número de novos casos desde abril."

Relatório DGS 9 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h05] | "Mais 646 novos casos de infeção, o maior valor desde abril." "Portugal ultrapassa, esta quarta-feira, os 61 mil casos confirmados de COVID-19, com mais 646 casos registados nas últimas 24 horas. Este é o maior aumento de casos desde 20 abril.

Há, agora, 16 408 casos ativos, mais 505 que ontem. Portugal tem mais 138 recuperados da doença, somando 43 284 recuperados. O país voltou a registar três óbitos, um na zona Norte e os restantes na Região Lisboa e Vale do Tejo (LVT).

Um dos óbitos ocorreu entre os 70-79 anos, as outras duas correspondiam a pessoas com mais de 80 anos. A COVID-19 já matou 1849 pessoas no país.

Apesar do aumento de casos, o número de internamentos verificou uma diminuição. Encontram-se, atualmente, 391 pessoas internadas, menos três que ontem. Dos internados 52 (mais dois que ontem) estão nas Unidades de Cuidados Intensivos.

O maior aumento de casos deu-se na região de LVT, registando 290 casos, com 45% dos casos. A região Norte registou 43% dos casos (276 casos), seguida da região Centro (40 casos). O Alentejo registou mais 23 casos e o Algarve mais 15. Tanto os Açores como a Madeira registaram mais um caso.

Portugal, ultrapassou, também a barreira dos 16 mil casos ativos, registando agora 16 408, mais 505 que ontem. A última vez que Portugal teve mais de 16 mil casos ativos foi a 23 de maio."

8 de setembro

Boletim Epidemiológico 8 setembro

PORTUGAL: TVI 24 [15h00] | Números oficiais do dia. Portugal regista esta terça-feira mais 388 casos de COVID-19 e três mortes, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde. Nesta altura, o país tem 60 895 casos no total, mais 255 ativos, e mais 130 doentes recuperados, 43 146 no total. As três mortes foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo (1) e na região Norte (2).

7 de setembro

Boletim DGS 7 de setembro COVID-19

PORTUGAL: Lusa [15h30] | Números oficiais do dia. Portugal contabiliza hoje mais três mortos e 249 novos casos de infeção relacionados com a pandemia da COVID-19, indicou a Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o boletim epidemiológico, desde o início da pandemia Portugal registou 1843 mortes e 60 507 casos de infeção. As três mortes foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo que contabiliza 31 048 casos (mais 85 casos em relação a domingo) e 686 mortos.

6 de setembro

Relatório DGS 6 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h13] | "Ultrapassada a barreira dos 60 mil casos de COVID-19." "Portugal ultrapassou, este domingo, a barreira dos 60 mil casos de COVID-19. Ao todo, o registo é de 1840 mortes (mais duas que no sábado) e 60 258 casos confirmados (mais 315, um aumento de 0,5%) de infeção com COVID-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Ambas as mortes ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, mas quase metade, 143 (45,4%), dos novos casos foram registados no Norte.

O relatório deste domingo, com dados atualizados até às 00h00 de sábado, mostra uma subida de 160 no número de recuperados, para um total de 42 953 (71,28% dos casos confirmados). O número de casos ativos sobe para 15 465 (mais 153).

A taxa de letalidade mantém-se nos 3,1%.

O relatório revela, ainda, que mais de 34 mil pessoas estão sob vigilância das autoridades sanitárias."

5 de setembro

Relatório DGS 5 de setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [14h30] | 486 novos casos de infeção e mais 217 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou este sábado a existência de 1838 mortes e 59 943 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1833 para 1838, mais 5 do que na sexta-feira. Já o número de infetados aumentou de 59 457 para 59 943, mais 486.

O número de pessoas internadas é de 345, mais 6 do que ontem, e nos cuidados intensivos está mais 1 doente, num total de 41.

O número de doentes dados como recuperados de COVID-19 voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 42 793, mais 217 do que ontem."

4 de setembro

Relatório DGS 4 de Setembro

PORTUGAL: SIC Notícias [13h34] | Mais 406 novos casos de infeção e mais 149 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta sexta-feira a existência de 1833 mortes e 59 457 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1829 para 1833, mais 4 do que na quinta-feira. Já o número de infetados aumentou de 59 051 para 59 457, mais 406.

O número de pessoas internadas é de 339, mais 5 do que ontem, e nos cuidados intensivos estão menos 4 doentes, num total de 40.

O número de doentes dados como recuperados de COVID-19 voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 42 576, mais 149 do que na quinta-feira.

Os dados da DGS indicam que as quatro vítimas mortais foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, que contabiliza 30 609 casos (mais 194) e 677 mortos."

3 de setembro

Relatório de situação DGS 3 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [15h41] | Maior aumento de casos confirmados desde 9 de julho. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) registou nas últimas 24 horas mais dois mortos e 498 infetados com COVID-19. É o maior aumento de casos confirmados desde o dia 9 de julho.

O relatório da DGS dá conta ainda de mais 19 doentes recuperados.

De acordo com o documento, há agora 14 795 casos ativos, mais 222 do que na quarta-feira.

As duas vítimas mortais verificaram-se na região de Lisboa e Vale do Tejo, uma morte na faixa etária entres os 60 e os 69 anos e outra acima dos 80. O boletim diário da DGS indica ainda que metade dos novos casos que surgiram nas últimas 24 horas registaram-se em Lisboa e Vale do Tejo.

O número de pessoas internadas diminuiu para 334, menos três do que ontem, dos quais quatro em unidades de cuidados intensivos (mais três do que ontem)."

2 de setembro

DGS Relatório de Situação 2 de setembro

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h42] | Mais 390 novos casos de infeção. "Nas últimas 24 horas, Portugal regista mais três mortos e 390 infetados com COVID-19.

De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde há agora 14 573 casos ativos (mais 258 do que ontem). O Norte volta a ultrapassar Lisboa no número de novos casos, tendo sido verificado o maior aumento de casos naquela região do país desde 8 de maio.

As três vítimas mortais agora registadas ocorreram na zona de Lisboa e Vale do Tejo e têm entre 70 a 79 anos de idade.

O número de internados nos hospitais desceu para 337, menos 13 do que na terça-feira, dos quais 41 nos cuidados intensivos.

De acordo com o boletim, desde o início da pandemia registam-se 58 633 casos de infeção confirmados e 1827 mortes."

1 de setembro

Boletim DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [13h35] | Mais 231 novos casos de infeção e mais 143 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde anunciou nesta terça-feira a existência de 1824 mortes e 58 243 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1822 para 1824, mais 2 do que na segunda-feira. Já o número de infetados aumentou de 58 012 para 58 243, mais 231.

O número de pessoas internadas é de 350, mais 1 do que ontem, e nos cuidados intensivos estão mais 3 doentes, num total de 44.

O número de doentes dados como recuperados de COVID-19 voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 42 104, mais 143 do que na segunda-feira."

31 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h56] | Mais 244 novos casos de infeção. "Portugal regista esta segunda-feira mais três vítimas mortais por COVID-19. Há também registo de mais 244 novos casos com a doença.

De acordo com o relatório da Direção-Geral da Saúde há agora mais 165 casos ativos, num total de 14 229.

O número de pessoas internadas nos hospitais é agora de 349, mais oito do que no domingo, 41 em cuidados intensivos. O número de doentes dados como recuperados voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 41 961, mais 76 do que no domingo.

Lisboa volta a ultrapassar o Norte em número de novos casos, o que não acontecia há dois dias."

30 de agosto

Boletim DGS 30 agosto

PORTUGAL: RTP [14h24] "Mais 320 novos casos e uma morte nas últimas 24 horas. Portugal registou mais 320 novos casos de infeção por Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 57 768 o número total desde o início da pandemia. Contabiliza-se ainda mais um óbito desde ontem, para um total de 1819. O único óbito ocorreu na região Norte, que totaliza agora 849 mortes e 20 776 casos confirmados de infeção (mais 162 do que ontem).

Há a registar 41 885 casos de doentes recuperados, o que perfaz mais 119 do que ontem.

Na região centro, registaram-se mais 20 casos, num total de 4 800, com 253 mortos. Na região de Lisboa e Vale do Tejo o total de infeções é hoje de 29 784 (mais 121), estando contabilizadas 663 vítimas mortais.

O número de internados subiu para 341 (mais 17) e o de doentes em internamento nas Unidades de Cuidados Intensivos subiu para 41, com mais um caso."

29 de agosto 

Boletim

PORTUGAL: SOL [13h59] "Mais 374 infetados e três mortos em Portugal. O número de casos confirmados de Covid-19 no país subiu para 57 448 depois de terem sido registados 374 casos nas últimas 24 horas. No mesmo período foram também contabilizados três óbitos, elevando para 1 818 o número de vítimas mortais do coronavírus em Portugal. Há menos 10 pessoas internadas e mais duas em cuidados intensivos, segundo os dados da DGS divulgados este sábado.

Portugal somou, nas últimas 24 horas, mais três óbitos relacionados com a covid-19, todos registados na Região de Lisboa e Vale do Tejo, no total já morreram 1 818 pessoas devido ao coronavírus.

De acordo com os dados divulgados este sábado pela DGS, foram também registados 374 novos casos de contágio, atualizando o número de infetados, contabilizados desde o início da pandemia, para 57 448.

A região Norte foi a que registou mais novos casos nas últimas 24 horas, com 157 infeções confirmadas, contabilizando 20 614 casos. Na Grande Lisboa foram identificados 149 novos casos. A região Centro registou mais 23 casos. No Algarve confirmaram-se 37 novos contágios e no Alentejo mais três. Na Madeira surgiram quatro infeções e uma nos Açores.

Por outro lado, mas 210 pessoas foram dadas como tendo superado a doença, aumentando o número de recuperado para 41 766.

Atualmente estão internados 324 doentes, menos dez do que ontem, dos quais 40 estão nos cuidados intensivos, mais dois do que no balanço anterior."

28 de agosto 

COVID-19

PORTUGAL: RTP N [13h38] | "Portugal com mais 401 casos de Covid-19 e seis vítimas mortais nas últimas 24 horas." "No total, morreram no país, de COVID-19, 1815 pessoas e, desde o início da pandemia, foram registados 57.074 casos confirmados. De acordo com o último relatório das autoridades de saúde há neste momento em Portugal 13.703 casos ativos, mais 196. A registar também mais 199 pessoas recuperadas, para um total de 41.566.
 
As autoridades têm também em vigilância 33.930 pessoas, mais 64 do que no último relatório. O maior aumento de novos casos registou-se em Lisboa e Vale do Tejo (+182), com o norte do país a registar mais 166 novos casos. Mais 29 no centro, mais 9 no Alentejo e mais 10 no Algarve.
 
Há neste momento 334 pessoas internadas, mais 17 do que no relatório anterior, e mais 3 em unidades de cuidados intensivos para um total de 38."

27 de agosto

COVID-19

PORTUGAL: RTP [14h31] | "Dois mortos, 399 novos casos e 173 pessoas recuperadas em Portugal em 24 horas." "Dos novos casos, 186 registaram-se em Lisboa e Vale do Tejo. As duas mortes também ocorreram nesta região. Há mais 224 casos ativos nas últimas 24 horas, revela o mais recente boletim epidemiológico.

Há, no total, 1809 mortes por COVID-19 em Portugal, 56.973 casos registados e 41.357 casos de recuperação. Há mais seis pessoas internadas (há 317 pessoas internadas) e 35 em unidades de cuidados intensivos, menos três do que no anterior balanço.

26 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: Sapo Notícias [13h50] "COVID-19: Duas mortes e 362 infetados em 24 horas. Região de Lisboa com 59% dos novos casos e Norte com 30%. Desde o início da pandemia, já se contabilizaram 1 807 óbitos associados à COVID-19 e 56 274 casos de infeção. Os números foram divulgados esta quarta-feira no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal contabilizou 1 807 mortes associadas à COVID-19 e 56 274 casos de infeção, segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Em relação a ontem, contabilizaram-se mais dois óbitos, 362 infetados e 163 recuperados. Ao todo há já 41 184 casos de recuperação em Portugal. 

Lisboa e Vale do Tejo (LVT) regista mais de metade (59%) dos novos episódios de infeção pelo novo coronavírus, com 214 das 362 novas infeções. Já a região Norte apresenta hoje uma subida de 109 casos, o que representa 30% das novas infeções.

O relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24h00 de ontem, indica que a região Norte é a que regista o maior número de mortes relacionadas com o vírus SARS-CoV-2, com 846 óbitos, seguida de Lisboa e Vale do Tejo (654 +2), Centro (253) e Alentejo (22). Pelo menos 17 mortes foram registadas no Algarve. Há 15 mortes contabilizadas nos Açores. Na Madeira não há óbitos registados.

Em todo o território nacional, há 311 doentes internados, menos 14 que ontem, e 38 em unidades de cuidados intensivos, menos três do que na terça-feira.

De acordo com o boletim da DGS sobre a situação epidemiológica, existem 13 283 casos ativos da infeção em Portugal - mais 197 que ontem - e 33 782 pessoas em vigilância pelas autoridades - menos 39 indivíduos."

25 de agosto

DESPORTO: LUSA [14h10]. "DGS define normas para retoma de modalidades com râguebi nas de alto risco. A Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou hoje as normas para a retoma das competições de modalidades desportivas coletivas, incluindo o râguebi e os desportos de contacto no grupo de alto risco.

A atualização das normas permite a retoma de modalidades como o futebol não profissional, andebol, futsal, basquetebol, voleibol e hóquei em patins, encarregando as federações e os clubes de avaliarem o risco de contágio de covid-19 e de'elaborar um regulamento específico para a prática desportiva, em contexto de treino e em contexto competitivo, de acordo com a estratificação de risco da modalidade'.

Além do râguebi, estão incluídos no grupo de alto risco de contágio, os desportos de contacto, entre os quais o judo, e modalidades como o polo aquático e a ginástica acrobática.

As modalidades incluídas no grupo de alto risco devem, ao abrigo das normas da DGS, realizar testes até 48 horas antes da competição, dos quais estão dispensadas as modalidades do grupo de médio risco, sempre que se trate de treinos ou 'competições entre equipas de zona(s) sem transmissão comunitária ativa'.

A DGS obriga a que as modalidades de médio risco realizam testes aleatórios até 48 horas antes da competição, sempre que as equipas compitam em zonas de transmissão comunitária ativa da doença.

Bolas das Modalidades

As medidas hoje divulgadas preveem a elaboração de um plano de contingência próprio para a covid-19, no qual devem constar os locais de treino e competição, as suas condições de higiene e segurança e a identificação da área de isolamento para casos suspeitos da doença.

Segundo o documento, 'não devem ser realizados treinos simultâneos com partilha de espaço por equipas diferentes, exceto jogos de preparação e treino pré-competições' e deve ser usada máscara sempre que não esteja comprometida a segurança do praticante.

A DGS aconselha funcionários, elementos das equipas técnicas e praticantes a efetuarem 'a automonitorização diária de sinais e sintomas e abster-se de ir trabalhar, treinar ou competir, se surgir sintomatologia compatível com covid-19'.

As normas hoje divulgadas pressupõem que todos os praticantes e equipas técnicas assinem 'um Código de Conduta/Termo de Responsabilidade, no qual é assumido o compromisso pelo cumprimento das medidas de prevenção e controlo da infeção por SARS-CoV-2, bem como o risco de contágio por SARS-CoV-2 durante a prática desportiva, quer em contexto de treinos quer em contexto de competições'.

Em 29 de maio último, a DGS já tinha dado autorização para a realização de atividade física em espaços fechados, mas de forma individual.

Em Portugal, morreram 1 801 pessoas das 55 720 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde."

Boletim

PORTUGAL: RTP NOTÍCIA [13h44] "Portugal regista mais quatro mortes, 192 casos e 141 recuperados. Morreram mais quatro pessoas com covid-19 em Portugal (três na região de Lisboa e Vale do Tejo e uma no Norte) e há 192 novos casos de infeção. São no total 1 805 óbitos registados e 55 912 casos confirmados

Há 13 086 casos ativos, mais 47 do que nas anteriores 24 horas. Há ainda a registar mais 141 recuperados. São já 41 021 casos de recuperação da doença.

Neste momento, há 325 doentes internados, mais quatro do que ontem, dos quais 41 em unidades de cuidados intensivos, menos três em relação ao anterior boletim da DGS.

Dos 192 novos casos registados em todo o país, 116 são da região de Lisboa e Vale do Tejo, o que corresponde a 60 por cento do total de novas infeções.

Há ainda mais 49 doentes a Norte, oito no Centro, 11 no Alentejo e cinco no Algarve. Nos Açores há dois novos infetados e na Madeira um caso."

24 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: SIC Notícias [13h26] "Portugal regista 5 mortes e 123 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Portugal regista mais cinco mortes por Covid-19 e 123 novos casos confirmados de infeção nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta segunda-feira.

De acordo com o boletim da DGS, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 55 720 casos de infeção confirmados e 1 801 óbitos. As cinco mortes registadas nas últimas 24 horas ocorreram nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo (três) e do Norte (duas).

A região de Lisboa e Vale do Tejo foi a que registou mais novos casos nas últimas 24 horas, com 63 infeções confirmadas, contabilizando 28 816 casos.

Três dos cinco óbitos ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que totaliza agora 649 mortos, e dois na região Norte que contabiliza 845 mortes e 19 972 casos (mais 43 nas últimas 24 horas).

A região Centro contabiliza 4 669 casos confirmados (mais 8), o Algarve 1.034 (mais 6), e o Alentejo regista 887, um valor que se mantém inalterado em relação a domingo. Nenhuma destas regiões registou qualquer novo óbito por Covid-19.

Nos Açores foram registados mais três casos nas últimas 24 horas e na Madeira não houve qualquer mudança face aos números de domingo.

Os Açores totalizam 202 casos desde o início da pandemia e 15 mortes, e a Madeira 140 casos e nenhum óbito por Covid-19.

De acordo com o boletim houve mais 106 doentes recuperados, totalizando 40 880 casos de recuperação.

A DGS indica também que há mais quatro doentes internados, totalizando 321, e menos um nos cuidados intensivos (44) em relação a domingo.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, sendo entre os 40 e os 49 anos que se registam mais infeções, contabilizando-se um total de 9 194, seguida da faixa etária entre os 30 e os 39 anos, com 9 149 casos, e entre os 20 e os 29 anos, com 8 672.

Os dados indicam ainda que houve 25 058 homens e 30 6620 mulheres infetados desde o início da pandemia. Do total de vítimas mortais, 907 são homens e 894 são mulheres.

O maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos, com 1 203 mortes registadas desde o início da pandemia, seguindo-se as faixas entre os 70 e os 79 anos (353).

Três dos óbitos registados nas últimas 24 horas foram de pessoas na faixa etária dos 70 aos 79 anos e os outros dois de pessoas com mais de 80 anos.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 34 388 pessoas (menos 25 do que na véspera)."

23 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: Observador [13h35] "Duas mortes e 145 novos casos de Covid-19 em Portugal. O número total de casos de Covid-19 registados em Portugal subiu este sábado para 55 597, depois de nas últimas 24 horas terem sido detetados mais 145 casos.

Segundo o boletim divulgado há momentos pela Direção-Geral da Saúde, o número de óbitos subiu para 1 796. São mais 2 do que ontem. No sábado registaram-se 219 novas infeções. No dia anterior tinham-se contabilizado 291 novos casos.

Já o número de recuperados cresceu em 122 para um total de, agora, 40 774 pessoas. De acordo com o boletim divulgado pela DGS, há neste momento 317 pessoas internadas com Covid-19, mais uma do que ontem. Em cuidados intensivos estão 47 pessoas, mais 5 do que ontem.

No que toca à distribuição geográfica dos novos casos, destaca-se a região Norte, com 69 dos 145 novos casos. Em Lisboa e Vale do Tejo assiste-se a um decréscimo, contabilizando 47 casos. O Algarve conta com 14 casos, a região Centro com 13. O Alentejo regista 2 infeções e não há casos a assinalar nas ilhas.

As duas vítimas mortais correspondem a Lisboa e Vale do Tejo e à região Norte. Trata-se de um homem e de uma mulher. Neste momento há 13 027 casos ativos, mais 21 do que ontem. Existem 34.413 contactos em vigilância, mais 243 do que no sábado."

22 de agosto

Boletim

PORTUGAL: Sapo Notícias [13h36] "Covid-19: Portugal regista mais dois mortos e 241 casos nas últimas 24 horas. Portugal regista este sábado duas mortes por covid-19 e 241 casos confirmados de infeção em relação ao dia de ontem, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), hoje divulgado.

De acordo com o boletim da DGS sobre a situação epidemiológica, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 55 452 casos de infeção confirmados e 1 794 mortes.

Nas últimas 24 horas o número de doentes internados nos hospitais desceu para 316 (menos 6). Em unidade de cuidados intensivos estão 42 pessoas (mais uma). Portugal regista hoje 40 652 casos recuperados, mais 179 do que ontem.

A região de Lisboa e Vale do Tejo registou os dois óbitos nas últimas 24 horas e mais 127 casos de infeção, com um total de 28 706 casos confirmados.

A região Norte regista hoje 67 novos casos, totalizando 19 860. Apesar de não registar qualquer novo óbito, mantém-se como a região com o total de mortes mais elevado do país (842).

De acordo com o boletim, houve mais 179 doentes recuperados, totalizando 40 473 casos de recuperação.

O boletim revela também que há menos cinco doentes internados (de um total de 316), mas houve um aumento de um doente em cuidados intensivos em relação a sexta-feira.

A região Centro contabiliza 4 648 casos confirmados (mais 14), o Alentejo regista 885 casos confirmados (mais 17), e o Algarve 1 014 casos (mais sete).

No que respeita a óbitos registados, o Centro mantém 253 mortes, o Alentejo 22 e o Algarve 17.

Nos Açores, há sete novos casos, totalizando 199 desde o início da pandemia, e, na Madeira, há duas novas infeções, de um total de 140, continuando sem registar qualquer óbito por covid-19.

O novo modelo do boletim da DGS, que entrou em vigor na segunda-feira, deixou de fornecer números exatos sobre a distribuição demográfica de casos, mas numa nota enviada às redações esses dados são discriminados.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, sendo entre os 40 e os 49 anos que se registam mais infeções, contabilizando-se um total de 9 156, seguida da faixa etária entre os 30 e os 39 anos, com 9 095 casos, e entre os 20 e os 29 anos, com 8 610.

Os dados indicam ainda que houve 24 939 homens e 30 513 mulheres infetados desde o início da pandemia. Do total de vítimas mortais, 903 são homens e 891 são mulheres.

O maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos, com 1 199 mortes registadas desde o início da pandemia, seguindo-se as faixas entre os 70 e os 79 anos (350).

As autoridades de saúde têm sob vigilância 34 182 pessoas (menos 51 do que na véspera)."

21 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: JE [ 13h23] "Portugal ultrapassa os 55 mil casos confirmados de Covid-19. O país registou esta sexta-feira mais 219 casos de contágio pelo novo coronavírus e quatro mortes. Portugal regista, desde o início da pandemia, 55 211 casos confirmados de Covid-19, tendo-se registado mais 219 pessoas infetadas nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde (DGS), divulgado esta sexta-feira.

Já o número de vítimas mortais do novo coronavírus no país aumentou para 1 792, o que corresponde a mais quatro mortes do que ontem, de acordo com a informação oficial da autoridade nacional de saúde. 

O relatório contabiliza, neste momento, 40 473 pessoas recuperadas desta doença, mais 209 do que no dia anterior. Dos 321 doentes internados (menos 13), 41 (mais dois) encontram-se em unidades de cuidados intensivos (UCI). Há ainda a registar 34 233 contactos em vigilância (menos 189) e 12 946 casos ativos de contágio, o que representa uma subida diária de seis.

Em relação às vítimas mortais, 901 são homens (524 deles com mais de 80 anos de idade) e 891 mulheres (674 delas com mais de 80 anos de idade). Ontem, faleceu uma bebé de quatro meses em Portugal, sendo até agora a vítima mais nova da doença. A ministra da Saúde, Marta Temido, explicou que a criança havia nascido com complicações cardíacas.

O Governo já autorizou a encomenda do primeiro lote de 6,9 milhões de vacinas contra a Covid-19, através de um programa de aquisição conjunta com a União Europeia, num investimento de 20 milhões de euros. O primeiro-ministro explicou que cabe agora à DGS definir "os critérios que devem obedecer à vacinação progressiva, universal e gratuita da população portuguesa para assegurar esta imunização"."

20 de agosto

PORTUGAL: Lusa [13h35] Números do dia. Portugal regista hoje duas mortes por COVID-19 e 291 casos confirmados de infeção em relação a quarta-feira, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), hoje divulgado. De acordo com o boletim da DGS sobre a situação epidemiológica, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 54 992 casos de infeção confirmados e 1788 mortes. A região de Lisboa e Vale do Tejo registou um óbito nas últimas 24 horas e mais 170 casos de infeção, com um total de 28 454 casos confirmados.

Boletim DGS COVID-19

19 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: Público [13h42] "Mais duas mortes e 253 novos casos. Uma das vítimas é um bebé com quatro meses. Portugal regista, nesta quarta-feira, mais duas mortes por covid-19 — o equivalente a um aumento de 0,1% — e 253 novos casos de infeção, o que representa um aumento de 4,6%. Há 12 786 casos ativos de infeção, mais 58 do que na terça-feira, de acordo com os números do boletim epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde, apresentados nesta quarta-feira.

De acordo com os dados da Direcção-Geral da Saúde, um dos mortos era um homem com mais de 80 anos e o outro uma menina com menos de dez anos. É a primeira morte registada nessa faixa etária. 

Desde março, o país contabiliza 1 786 óbitos e 54 701 infeções.

De acordo com o mesmo boletim, já 40 129 pessoas recuperaram da doença, mais 193 face a terça-feira. Estão 329 pessoas internadas, menos sete do no dia anterior, 35 delas internadas nos cuidados intensivos (menos três pessoas do que as registadas na terça-feira).

As duas mortes foram registadas em Lisboa e Vale do Tejo, que conta com mais de metade dos novos casos identificados nas últimas 24 horas: 159. Foram registados 65 novos casos no Norte, 17 no Centro, sete no Alentejo, quatro no Algarve e um na Madeira."

18 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: JE [14h43] "Portugal regista mais 214 casos e cinco mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas. Portugal conta com um total de 54 448 casos confirmados da Covid-19, mais 214 face ao dia anterior, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta terça-feira, 18 de agosto. O número de vítimas mortais do novo coronavírus no país aumentou para 1 784, registando-se cinco vítimas mortais nas últimas 24 horas.

A DGS revela que atualmente existem 19 572 casos registados no Norte, 4 603 no Centro, 28 125 em Lisboa e Vale do Tejo, 983 no Algarve, 187 casos na Região Autónoma dos Açores, 134 na Região Autónoma da Madeira e 844 casos no Alentejo.

Atualmente existem 336 internados, dos quais 38 estão em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) e 39 936 casos recuperados em Portugal, mais 136 do que os registados no dia de ontem. Do total das 1 784 mortes, 840 foram no Norte, 253 no Centro, 637 em Lisboa e Vale do Tejo, 17 no Algarve, 15 nos Açores, 22 no Alentejo, não se registando nenhuma na Madeira.

Atualmente existem 24 432 homens e 30 016 mulheres infetados pelo novo coronavírus. Em termos de óbitos contam-se 896 homens e 888 mulheres. Encontram-se em vigilância 35 107 pessoas, menos 461 do que no dia de ontem. Registam-se ainda 12 728 casos ativos, mais 73 do que o verificado ontem.

O grupo etário com o maior número de casos verifica-se entre os 30 e 39 anos, com 4 243 homens e 4 666 mulheres, num total de 8 909 casos. O maior número de óbitos regista-se acima dos 80 anos, com 521 homens e 672 mulheres, num total de 1 193 mortes."

17 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: Expresso [14h30] "17 agosto: 1 morte, 132 casos e 103 recuperados. O boletim da DGS desta segunda-feira dá conta de mais 132 infeções de covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas (mais onze do que na véspera). Houve também uma morte e 103 pessoas recuperaram da doença.

Há em todo o país 12 655 casos ativos da doença (mais 28 do que na véspera), 39 800 recuperados e 1779 óbitos. Até ao momento foram confirmadas em Portugal 54 234 infeções.

O número de recuperados (103) traduz-se no valor mais baixo desde 10 de agosto, altura em que receberam alta 89 pessoas. A única vítima mortal, sediada em Lisboa e Vale do Tejo, revela um recuo no que toca a óbitos, que, desde 6 de agosto, tem variado diariamente entre 2 e 6. A taxa de letalidade, a relação entre mortalidade e infetados, estacionou nos 3,28%.

Há mais 11 pessoas internadas nos hospitais do território, o maior aumento desde 4 de agosto (11), elevando o total de hospitalizados para 336. Os doentes nas unidades de cuidados intensivos ocupam as mesmas 39 camas da véspera.

Há 35 568 pessoas a ser vigiadas pelas autoridades de saúde."

16 de agosto

Boletim DGS

PORTUGALExpresso [14h02] | "Mais três mortes e 121 novos casos positivos em Portugal. O boletim da DGS deste domingo contabiliza um total de 1778 óbitos em Portugal por covid-19 e 54 102 infetados desde o início da pandemia. Nas últimas 24 horas morreram mais três pessoas e foram internados cinco doentes (dois dos quais nos cuidados intensivos).

Desde a passada quarta-feira, diz 12 de agosto que o número de utentes internados aumentou. A DGS regista ainda 112 doentes recuperados e 121 novos casos positivos.

De acordo com a DGS, a região de Lisboa e Vale do Tejo teve ontem menos de 50% dos novos casos pela primeira vez em três meses. Hoje regista-se outro facto que já não sucedia desde 10 maio: o Norte tem mais novos casos (54 dos 121 totais, o que equivalente a 44,6%) do que a região da capital (43, 35,5% do total).

Nas restantes regiões os números são os seguintes: Alentejo (11, 9,1%), Algarve (10, 8,3%) e, com um caso cada (0,8%), Centro, Açores e Madeira."

15 de agosto

Boletim

PORTUGAL: SIC Notícias [13h54] | "Portugal com mais três mortes e 198 casos de Covid-19. Portugal regista hoje mais três mortes e mais 198 casos confirmados de Covid-19 em relação a sexta-feira, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), hoje divulgado.

De acordo com o boletim da DGS sobre a situação epidemiológica, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 53 981 casos de infeção confirmados e 1 775 mortes.

Pela primeira vez em 3 meses, Lisboa e Vale do Tejo tem menos de 50% dos novos casos de Covid-19 em Portugal. São hoje mais 94 casos na região, 47,5% do total do país.

Portugal regista hoje mais 39 585 casos recuperados, mais 211 do que na sexta-feira. Há 1.263 pessoas a aguardar resultados laboratoriais e 36 268 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde, ambos os indicadores com valores abaixo dos registados na sexta-feira.

Nas últimas 24 horas o número de doentes internados em cuidados intensivos baixou para 37, menos quatro do que os 41 de sexta-feira, e o total de doentes internados baixou para 320, menos 28 do que na sexta-feira.

Na região norte estão confirmados 19 419 casos de Covid-19 desde o início da pandemia, 66 dos quais nas últimas 24 horas; a região centro contabiliza 4 584 casos confirmados (+16); o Alentejo regista 812 casos confirmados (+13), e o Algarve 965 casos (+8).

Na região autónoma da Madeira contam-se 129 casos confirmados desde o início da pandemia (+1 nas últimas 24 horas) e nenhum óbito; e nos Açores registam-se 184 casos confirmados e 15 mortes, sem alterações no último dia.

Quanto aos óbitos registados, o norte mantém-se como a região com o total de mortes mais elevado, com 839 registos; o centro tem 253 mortes; a região de Lisboa e Vale do Tejo 629; o Alentejo 22; e o Algarve 17.

Portugal continua sem registo de mortes abaixo dos 20 anos e a faixa etária acima dos 80 anos continua a ser a mais atingida pela mortalidade por Covid-19.

Quanto a casos confirmados, distribuem-se por todas as faixas etárias sendo as idades até aos nove anos as menos afetadas por infeções até ao momento."

14 de agosto

DGS Boletim 14 de agosto

PORTUGAL: SIC Notícias [13h50] | Mais 235 novos caso de infeção e mais 197 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta sexta-feira a existência de 1772 mortes e 53 783 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1770 para 1772, mais 2 do que na quinta-feira. Já o número de infetados aumentou de 53 548 para 53 783, mais 235.

O número de pessoas internadas é de 348, menos 10 do que na quinta-feira, e nos cuidados intensivos estão 41 pessoas, mais 2.

O número de doentes dados como recuperados de COVID-19 voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 39 374, mais 197 do que na quinta-feira.

A região de Lisboa e Vale do Tejo totaliza esta sexta-feira 27 794 casos de COVID-19, mais 149 do que no dia anterior."

MUNDO: SIC Notícias [11h28] | "UE assegura 400 milhões de doses de potencial vacina de Oxford contra a COVID-19." "A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou hoje que a União Europeia assegurou a compra da potencial vacina contra a COVID-19 que está a ser desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca e Universidade de Oxford, uma das cinco mais avançadas.

'A Comissão Europeia concluiu o primeiro acordo de compra de até 400 milhões de doses da futura vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca. Estamos empenhados em garantir a saúde dos europeus e dos nossos parceiros a nível mundial.'

O acordo prevê a compra de 300 milhões de doses da vacina em nome dos Estados-membros da UE, com uma opção de compra de mais 100 milhões, caso a vacina se revele eficaz.

Em comunicado, a Comissão Europeia revelou ainda que continua a discutir acordos semelhantes com outros fabricantes de vacinas."

13 de agosto

DGS Boletim 13 de agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h43] | Número de casos diários mais alto desde 16 de julho. "Portugal regista 1770 mortes (mais seis que na quarta-feira) e 53 548 casos (mais 325) confirmados de infeção por COVID-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) apresentado esta quinta-feira. Trata-se do número de casos diários mais alto desde 16 de julho, dia em que houve 339.

Pelo segundo dia consecutivo, volta também a aumentar o número casos ativos (mais 82). Dos seis óbitos, quatro ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, e dois na região Norte.

Há, neste momento, 358 pessoas internadas, menos nove do que na quarta-feira, e nos cuidados intensivos estão 39 internados, menos uma do que ontem. Já o número de casos recuperados subiu para 39 177: mais 237.

A região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser o epicentro da pandemia em Portugal e totaliza 27 645 casos de COVID-19, mais 204 do que no dia anterior. Esta região representa 63% dos casos registados."

12 de agosto

Boletim DGS 12 de agosto

PORTUGAL: SIC Notícias [13h47] | Mais 278 novos casos de infeção e mais 180 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 1764 mortes e 53 223 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1761 para 1764, mais 3 do que na terça-feira. Já o número de infetados aumentou de 52 945 para 53 223, mais 278 (um aumento de 0,5%).

Há mais duas pessoas internadas, totalizando 367, e nos cuidados intensivos estão mais 5, totalizando 40, e há mais 180 doentes recuperados (total de 38 940).

A região de Lisboa e Vale do Tejo tem mais 160 casos do que ontem, totalizando hoje 27 441."

11 de agosto

DGS Boletim 11 de agosto

PORTUGAL: Diário de Notícias [14h31] | "Mais 120 casos de COVID-19, o menor número da última semana." "Em Portugal, nas últimas 24 horas, morreram mais duas pessoas e foram confirmados mais 120 casos de COVID-19 (um crescimento de 0,2% em relação ao dia anterior). Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta terça-feira (11 de agosto), no total, desde que a pandemia começou, registaram-se 52 945 infetados, 38 760 recuperados (mais 160) e 1761 vítimas mortais no país.

Há, neste momento, 12 424 doentes portugueses ativos a ser acompanhados pelas autoridades de saúde.

Este é o quarto dia consecutivo em que o número de casos diários fica abaixo dos 200. É também preciso recuar uma semana (até terça-feira, dia 4 de agosto) para encontrar um valor mais baixo; nesse dia tinham sido notificados 112 novos casos.

72 dos 120 infetados de hoje (60%) têm residência na região de Lisboa e Vale do Tejo. Os restantes casos estão distribuídos pelo Norte (mais 34), pelo Centro (seis), pelo Alentejo (três), pelo Algarve (três) e pelos Açores (dois). Só a Madeira não regista nenhuma alteração à sua situação epidemiológica (com os mesmos valores há dois dias).

Quantos aos dois óbitos registados nas últimas 24 horas, ambos localizam-se na região Norte. Trata-se de dois homens com mais de 80 anos.

A taxa de letalidade do país é hoje de 3,3%, subindo aos 15,8% no caso das pessoas com mais de 70 anos (as principais vítimas mortais)."

MUNDO: Lusa [13h06] | Vacina russa chama-se "Sputnik V" e foi já pedida por 20 países. "A vacina russa contra a COVID-19, cujo registo foi hoje anunciado pelo presidente, Vladimir Putin, chama-se 'Sputnik V', vai começar a ser fabricada em setembro e já foi encomendada por 20 países.

A produção industrial vai começar em setembro e, segundo o Kremlin, passa a estar disponível em janeiro de 2021.

'Mais de um milhão de doses' já foram pré-encomendadas por '20 países estrangeiros' disse Kirill Dmitriev, presidente do conselho de administração do Russian Direct Investment, o fundo soberano russo envolvido na investigação científica e no financiamento das pesquisas.

A vacina contra o SARS CoV-2 desenvolvida pelos cientistas russos chama-se 'Sputnik V' (o 'V' significa 'vacina') em referência ao satélite soviético, o primeiro aparelho espacial a ser lançado para a órbita do planeta Terra, disse hoje Vladimir Putin."

MUNDO: SIC Notícias [11h36] | "OMS discute com a Rússia nova vacina contra a COVID-19." "A Organização Mundial da Saúde (OMS) e as autoridades de saúde russas estão a discutir o processo para uma possível pré-qualificação da OMS para sua vacina contra a COVID-19 recém-aprovada, disse um porta-voz da OMS esta terça-feira.

O presidente Vladimir Putin disse que a Rússia se tornou o primeiro país do mundo a conceder aprovação regulamentar para uma vacina contra a COVID-19 depois de menos de dois meses de testes em humanos.

'Estamos em contacto próximo com as autoridades de saúde russas e as discussões estão em andamento em relação à possível pré-qualificação da vacina pela OMS, mas, novamente, a pré-qualificação de qualquer vacina inclui a revisão e avaliação rigorosa de todos os dados de segurança e eficácia exigidos', disse o porta-voz da OMS.

A primeira vacina para a COVID-19 registada no mundo, anunciada hoje pelo presidente russo, Vladimir Putin, vai entrar em circulação em 1 de janeiro de 2021, segundo o Ministério da Saúde da Rússia.

A data para a distribuição da vacina russa contra a COVID-19 foi indicada pela entidade oficial da Rússia que regista medicamentos e que pertence ao Ministério da Saúde, noticia a France-Presse, que cita as agências de notícias russas."

Vacina

MUNDO: TSF [10h31] | "Rússia regista primeira vacina contra COVID-19. Putin garante que a filha já foi vacinada." "'Esta manhã foi registada, pela primeira vez no mundo, uma vacina contra o novo coronavírus', disse Vladimir Putin durante uma reunião com membros do governo russo.

De acordo com o chefe de Estado, a vacina russa é 'eficaz' e superou todas as provas necessárias, assim como permite uma 'imunidade estável' face à COVID-19.

Putin acrescentou que uma das suas duas filhas já recebeu uma dose da vacina e está a sentir-se bem.

As autoridades russas já haviam anunciado que os profissionais de saúde, professores e outros grupos de risco serão os primeiros a serem inoculados.

A vacina vai entrar em circulação em 1 de janeiro de 2021, segundo o Ministério da Saúde da Rússia.

No entanto, muitos cientistas no país e no estrangeiro questionaram a decisão de registar a vacina antes de os cientistas completarem a chamada Fase 3 do estudo.

Essa fase por norma demora vários meses e envolve milhares de pessoas e é a única forma de se provar que a vacina experimental é segura e funciona.

A pandemia de SARS CoV-2 já provocou mais de 733 mil mortos e infetou mais de 20 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP."

MUNDO: TSF [8h40] | "Portugal e Suécia são os países onde a COVID-19 mais recua." "Portugal e a Suécia são os países europeus com maiores reduções nas taxas de novos casos de COVID-19. A conclusão é do Centro Europeu de Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) que comparou aquilo que acontecia a meio de julho (dia 20) com o início de agosto (dia 2), calculando a incidência de casos detetados nos últimos 14 dias por 100 mil habitantes.

Portugal continua acima da média europeia, mas desceu para o sétimo país com mais novos casos (28,4 casos por 100 mil habitantes), atrás do Luxemburgo (209,5), Roménia (79,4), mas também dos vizinhos espanhóis (60,2), Bulgária (45,7), Bélgica (44,4) e da Suécia (30,7).

Aliás, Portugal é um dos poucos países (apenas cinco) com menos novos casos de COVID-19 nas últimas semanas, em contraste com os 27 países com os números a subir.

O ECDC destaca mesmo Portugal e a Suécia como os únicos países com descidas a rondar os 30%, em contraste com a Espanha, Bélgica, Roménia, Luxemburgo, República Checa e Malta onde ocorre o contrário, ou seja, subidas de 30%, ou superiores."

10 de agosto

Boletim DGS 10 de agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h26] | Mais 157 novos casos de infeção e mais 89 recuperados. "Portugal regista 1759 mortes (mais três que no domingo) e 52 825 casos (mais 157) confirmados de infeção por COVID-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O número de casos recuperados sobe para 38 600, mais 89 em relação ao último domingo.

As três mortes e 99 das novas infeções ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com 27 209 casos confirmados.

O número de pessoas internadas é de 374, mais oito do que no domingo, e nos cuidados intensivos estão 29 pessoas, menos quatro do que no domingo."

9 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: Lusa [14h49] | "Mais seis mortos e 131 novos casos em Portugal.""Portugal regista hoje mais seis mortos e 131 novos casos de infeção por COVID-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. O número de pessoas internadas é de 366, mais nove do que no sábado, e nos cuidados intensivos continuam 33 pessoas. De acordo com o relatório da DGS sobre a situação epidemiológica, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 52 668 casos de infeção confirmados e 1756 mortes, das quais quatro na região de Lisboa, uma no Norte e uma no Algarve nas últimas 24 horas."

8 de agosto

Boletim DGS 8 de agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h20] | 186 novos casos de infeção e mais 277 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou este sábado a existência de 1750 mortos e 52 537 casos de COVID-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1746 para 1750, mais 4 do que na sexta-feira (duas na região de Lisboa, uma no Centro e uma no Algarve nas últimas 24 horas).

Já o número de infetados aumentou de 52 351 para 52 537, mais 186.

O relatório mostra uma subida de 277 no número de recuperados, para um total de 38 364 (73,02% dos casos confirmados).

O número de pessoas internadas é de 357, mais uma do que na sexta-feira, e nos cuidados intensivos estão 33 pessoas, menos três em relação ao boletim diário anterior."

7 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h38] | Mais 290 novos casos de infeção e mais 247 recuperados. "Portugal regista 1746 mortes (mais três que na quinta-feira) e 52 351 casos (mais 290) confirmados de infeção por COVID-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

As três mortes e 208 (71,72%) das novas infeções ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com mais de 26 mil casos confirmados.

O relatório desta sexta-feira, com dados atualizados até às 00h00 de quinta, mostra uma subida de 247 no número de recuperados, para um total de 38 087 (72,75% dos casos confirmados). Após 11 dias consecutivos em queda, o número de casos ativos volta a subir, para 12 518 (mais 40).

A taxa de letalidade mantém-se em 3,3% (15,7% acima dos 70 anos).

Lisboa e Vale do Tejo é a região mais afetada, em termos cumulativos, pela pandemia, com 26 928 casos (o que representa 51,44% das infeções). Seguem-se Norte (18.952), Centro (4.508), Algarve (911), Alentejo (761), Açores (170) e Madeira (121)."

6 de agosto

Boletim DGS 6 de agosto

PORTUGAL: SIC Notícias [14h19] | Mais 213 novos casos de infeção e mais 275 recuperados. "A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quinta-feira a existência de 1743 mortes e 52 061 casos de COVID-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1740 para 1743, mais 3 do que na quarta-feira. Já o número de infetados aumentou de 51 848 para 52 061, mais 213.

Há 369 doentes internados, 42 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos.

O número de casos recuperados subiu de 37 565 para 37 840, mais 275."

5 de agosto

Boletim DGS 5 de agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [14h30] | Mais 167 novos casos de infeção e mais 247 recuperados. "Portugal regista 1740 mortes (mais uma que na terça-feira) e 51 848 casos (mais 167, um aumento de 0,3%) confirmados de infeção por COVID-19, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). A única morte e 116 (69,46%) das novas mortes ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com mais de 26 mil casos confirmados.

O relatório desta quarta-feira, com dados atualizados até às 00h00 de terça, mostra uma subida de 247 no número de recuperados, para um total de 37 565 (72,45% dos casos confirmados). O número de casos ativos desce para 12 543 (menos 81).

A taxa de letalidade mantém-se nos 3,4% (15,9% acima dos 70 anos).

Desde o dia 1 de janeiro, registaram-se 450 524 casos suspeitos. O relatório revela, ainda, que 1437 casos ainda aguardam os resultados dos testes laboratoriais e mais de 37 mil pessoas estão sob vigilância das autoridades sanitárias.

Lisboa e Vale do Tejo é a região mais afetada, em termos cumulativos, pela pandemia, com 26 573 casos (o que representa 51,25% das infeções). Seguem-se Norte (18 854), Centro (4478), Algarve (902), Alentejo (753), Açores (170) e Madeira (118)."

4 de agosto

Boletim DGS 4 de Agosto

PORTUGAL: TVI24 [13h33] | Mais 112 novos casos de infeção e mais 207 recuperados. "Portugal regista mais uma morte e 112 novos casos de COVID-19, segundo o boletim divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O total de óbitos é, agora, de 1739, enquanto o número de casos confirmados subiu para 51 681. O balanço anterior, de segunda-feira, não indicava qualquer vítima mortal.

Foram registados mais 207 casos de recuperação, elevando o total para 37 318. Existem 12 624 casos ativos do novo coronavírus em Portugal.

O número de doentes internados voltou a subir, passando novamente a barreira dos 400. Com mais 11 doentes hospitalizados nas últimas 24 horas, são agora 401 as pessoas que necessitam de cuidados hospitalares. Destas, 44 estão em unidades de cuidados intensivos, mais duas que no balanço anterior."

3 de agosto

Boletim DGS 3 de Agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h21] | "Primeiro dia sem novas mortes desde março." "Portugal não regista quaisquer novas mortes por COVID-19, esta segunda-feira. É a primeira vez que isto acontece desde 17 de março. Ao todo, o registo é de 1738 mortes (as mesmas que no domingo) e 51 569 casos (mais 106, o que supõe um aumento de 0,2%) confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Dos novos diagnósticos, 66 (62,26%) ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, que é, neste momento, o epicentro da pandemia em Portugal, com mais de 26 mil casos confirmados.

O relatório desta segunda-feira, com dados atualizados até às 00h00 de domingo, mostra uma subida de 127 no número de recuperados, para um total de 37 111 (71,96% dos casos confirmados). O número de casos ativos desce para 12 720 (menos 21). A taxa de letalidade mantém-se nos 3,4% (15,9% acima dos 70 anos)."

2 de agosto

Boletim DGS

PORTUGAL: TVI24 [12h58] | Mais 153 novos casos de infeção. "Portugal regista hoje mais um morto e 153 novos casos de infeção por COVID-19 em relação a sábado, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS).

De acordo com o relatório da situação epidemiológica da DGS, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 51 463 casos de infeção confirmados e 1738 mortes.

A região de Lisboa e Vale do Tejo, onde continua a haver mais surtos ativos de COVID-19, totaliza hoje 25 323 casos, mais 92 do que na véspera."

1 de agosto

Boletim DGS 1 de agosto

PORTUGAL: Rádio Renascença [13h55] | É o sexto dia consecutivo em que o número de casos ativos baixa. "O balanço diário da Direção-Geral da Saúde revela que Portugal regista 1737 óbitos por COVID-19 (mais duas mortes em 24 horas) e 51 310 casos de infeção (mais 238).

Uma das mortes aconteceu em Lisboa e a outra no Alentejo. Ambas as vítimas têm mais de 80 anos.

Até agora, 36 783 pessoas recuperaram da doença (mais 300 nas últimas 24 horas).

Estão internadas 375 pacientes (mais seis do que ontem), dos quais 40 estão nos cuidados intensivos (menos um).

De acordo com o relatório da situação epidemiológica, 164 dos novos casos de infeção são na Grande Lisboa, o que corresponde a 69%.

É o sexto dia consecutivo em que o número de casos ativos baixa (menos 64)."

Ver todas as notícias de julho aqui.

Ver todas as notícias de junho aqui.

Ver todas as notícias de maio aqui.

Ver todas as notícias de abril aqui.

Ver todas as notícias de março aqui.

Texto: Márcia Dores, Filipa Fernandes Garcia, Diogo Nascimento, Sónia Antunes e Marco Rebelo

Fotos: Tuttosport / Corriere dello Sport / The Guardian / Le Figaro / Mundo Deportivo / L'Équipe / AS / La Repubblica / El País / Portugal.gov.pt / UEFA / Twitter Roland Garros / Il Messaggero / Corriere della Sera / Liga Portugal / ACP / COI / Reuters / New York Times / The Telegraph / FIFA / De Telegraaf / Público / Expresso

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar