Andebol

18 outubro 2021, 10h46

Chema Rodríguez

Na antevisão ao desafio da 1.ª jornada da fase de grupos da EHF European League, frente ao TBV Lemgo Lippe, na Alemanha, agendada para as 19h45 de terça-feira, 19 de outubro, Chema Rodríguez enalteceu a qualidade do oponente, bem como dos restantes adversários da equipa de andebol do SL Benfica no Grupo B da prova.

"Calhou-nos um grupo muito difícil, com equipas muito complicadas como o Lemgo, o Nantes, o GOG, o Chekhovskie. Podemos dizer que é o 'grupo da morte' e, seguramente, que o Lemgo é um dos mais fortes. Qualquer equipa alemã nesta competição é muito forte e duríssima e, neste caso, o Lemgo é o campeão atual da Taça da Alemanha", analisou o treinador.

O líder da equipa técnica encarnada considera que os adversários "estão ao mesmo nível que o Rhein-Neckar Löwen", equipa alemã que as águias eliminaram na qualificação para a competição europeia, acrescentando "que podia estar na Champions, tal como o Lemgo".

Chema Rodríguez

"Mostrámos que conseguimos ganhar a um dos grandes da competição, como era o Rhein-Neckar Lowen, mas o Lemgo também o é e continuamos a dizer o mesmo. Estamos aqui para competir ao máximo nível em todas as partidas. Sabemos que é um rival muito complicado, ainda para mais na sua casa, com os seus adeptos, mas nós somos o Benfica e temos de tentar ganhar todos os jogos que pudermos e é isso que vamos fazer. Vamos trabalhar para o conseguir", garantiu o técnico.

Chema Rodríguez refletiu ainda sobre as vantagens e desvantagens de competir nas provas europeias e, consequentemente, ter um calendário mais ocupado: "Jogar só uma vez por semana é sempre complicado. Como todos os jogadores, o que eu mais gosto é de jogar e fazê-lo duas vezes por semana é bom para algumas coisas, porque os jogadores ficam contentes por jogar constantemente, mas não nos dá tanto tempo para preparar as partidas. No entanto, a verdade é que dá uma competitividade que, sem as competições europeias, não teríamos. Jogar contra grandes equipas, acostumadas a estar na Champions, faz-nos crescer como equipa."

Texto: Simão Vitorino
Fotos: SL Benfica
Última atualização: 18 de outubro de 2021

Patrocinadores Andebol


Relacionadas

Futebol

A paixão do dérbi!

Uma viagem histórica pela paixão sentida nos dérbis entre Benfica e Sporting, conduzida pela BTV, mostrou as emoções sentidas por alguns dos protagonistas ao longo dos anos. Toni lembrou que se trata de "um dérbi eterno", Aimar, esse, recordou a paixão de marcar um golo e em André Almeida ainda hoje perdura o célebre grito em uníssono dos adeptos, em 2015, aos 71', em que na Catedral se ouviu: "Eu amo o Benfica! Eu amo o Benfica!". Gaitán, Rui Águas, Jonas, Calado, Veloso, Paulo Futre e no feminino pelas vozes de Pauleta e Nycole, todos eles sentiram e guardam esta paixão

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar