Clube

22 novembro 2021, 00h35

O que se passou esta noite no Pavilhão João Rocha envergonha o Futsal, a Federação, os responsáveis pela arbitragem e os adeptos do Sporting. Uma lamentável noite de "Vale Tudo" que em nada dignifica a modalidade e o espírito desportivo que deve sobrepor-se a qualquer rivalidade.

Vamos por partes.

1 - Num jogo extremamente equilibrado, a arbitragem voltou a assumir um protagonismo que se repudia. Vários lances de análise clara foram decididos em sentido contrário, com sistemático prejuízo para o Benfica. O cúmulo de uma arbitragem enviesada está expresso no quarto golo do Sporting, com o nosso jogador Robinho a ser empurrado pelas costas sem que fosse assinalada qualquer falta.

2 - Num jogo com duas grandes equipas de Futsal assistimos a um coro arruaceiro de insultos, provocações e intimidações que duraram a partida toda. Como é que, mais uma vez, os adeptos do Sporting partem o vidro que está por detrás do banco de suplentes do Sport Lisboa e Benfica, ferindo inclusive um dos nossos jogadores? Cumpre-nos igualmente perguntar: este comportamento e os constantes insultos por parte dos adeptos do Sporting vão ficar uma vez mais impunes?

3 - Reprovável a carga policial sobre os adeptos do Benfica. O Clube vai requerer às autoridades competentes explicações quanto aos fundamentos que levaram a esta decisão gravosa para com a integridade física dos nossos adeptos.

Uma última palavra para a transmissão televisiva do Canal 11. Sem repetições, sem imagens e sem comentários no momento quanto a tudo o que acima foi referido, em contraponto com outros comentários que não dignificam em nada o desporto.

Fotos: SL Benfica
Última atualização: 22 de novembro de 2021

Patrocinadores Futsal


Relacionadas

Futebol

A paixão do dérbi!

Uma viagem histórica pela paixão sentida nos dérbis entre Benfica e Sporting, conduzida pela BTV, mostrou as emoções sentidas por alguns dos protagonistas ao longo dos anos. Toni lembrou que se trata de "um dérbi eterno", Aimar, esse, recordou a paixão de marcar um golo e em André Almeida ainda hoje perdura o célebre grito em uníssono dos adeptos, em 2015, aos 71', em que na Catedral se ouviu: "Eu amo o Benfica! Eu amo o Benfica!". Gaitán, Rui Águas, Jonas, Calado, Veloso, Paulo Futre e no feminino pelas vozes de Pauleta e Nycole, todos eles sentiram e guardam esta paixão

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar