Futebol

25 janeiro 2022, 23h50

Nélson Veríssimo

CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

O Benfica venceu o Boavista já na marcação das grandes penalidades (3-2) e garantiu presença na grande final da Taça da Liga. Nélson Veríssimo destacou o "compromisso e a resposta" da equipa, valorizou a obtenção do objetivo, mas voltou a frisar haver "margem para crescimento".

Primeiro na zona de entrevistas rápidas, depois em conferência de Imprensa, o treinador Nélson Veríssimo analisou a partida entre Benfica e Boavista, em Leiria, desafio que os encarnados venceram e onde tiveram "coração e controlo emocional".

O técnico recordou nesta data dois nomes emblemáticos da História do Clube, vincou a importância da meta alcançada, explicou a utilização dos jogadores com menos minutos, valorizando as "oportunidades" criadas pelas ausências, e analisou um encontro que teve duas partes distintas, mas onde a resposta do coletivo foi positiva e a vontade de fazer mais e melhor se apresentam com um "processo de trabalho contínuo".

Benfica-Boavista

Eusébio e Fehér recordados

"Conseguimos concretizar um dos objetivos, tendo em conta que para chegar à final teríamos de vencer esta meia-final com o Boavista. Conseguimo-lo, para mais numa data com muito significado para os Benfiquistas, nomeadamente o nascimento do nosso rei Eusébio [faria nesta terça-feira 80 anos] e a partida do Fehér [há 18 anos]."

Análise ao jogo e o compromisso da equipa

"Há que valorizar a passagem à final, que era o objetivo. Fizemos uma boa primeira parte, sólida, consistente, a criar situações de perigo junto da área do Boavista, a controlar e marcámos o golo; na segunda parte sofremos o empate, a equipa retraiu-se e ficou um pouco intranquila, mas depois os jogadores reagiram e terminámos por cima do jogo, a tentar evitar o desempate por grandes penalidades. A equipa deu a volta e terminou o desafio de forma muito comprometida e globalmente fez o que lhe competia, vencer e estar na final da Taça da Liga. Tivemos coração, mas também controlo emocional. Não jogámos sozinhos, o Boavista teve o mérito de acreditar, criou-nos dificuldades, mas há que sublinhar o objetivo, chegar à final, alcançado. No cômputo geral, fizemos um bom jogo."

Benfica-Boavista

As grandes penalidades e a final de sábado

"Sabíamos que a decisão podia ser assim e treinámos e trabalhámos isso. Há quem diga que é sorte, uma lotaria, eu acredito no trabalho e no compromisso, e os jogadores tiveram ambos! A equipa está de parabéns por estarmos na final. Fomos competentes e tivemos mérito. É importante para todos e um objetivo assumido desde o início. Chegando à final vamos querer ganhá-la!"

Todos contam

"Temos um plantel em que todos contam e, independentemente de nos últimos jogos as opções terem recaído sobre outros jogadores, fruto de alguns impedimentos no sentido de formar uma convocatória para este jogo, houve a oportunidade para outros jogadores menos utilizados. Isto nada a tem a ver com o emagrecimento do plantel. Os jogadores tiveram a oportunidade porque têm trabalhado de uma forma muito comprometida, têm a sua qualidade e, em função do que são as suas características, podem dar soluções diferentes ao que são as dinâmicas da equipa. O Meïte, o Gil Dias e o [Nemanja] Radonjic tiveram oportunidade e tentaram dar o seu melhor."

Benfica-Boavista

Valorizar as oportunidades

"Sabíamos que havia duas ausências, a do Darwin e a do Nico [Otamendi], mais tarde viemos a perceber que o Rafa também não poderia estar, mas acreditamos muito no trabalho da equipa. É óbvio que há jogadores mais rotinados nas posições e nas dinâmicas da equipa que outros. Ainda assim, quero valorizar as oportunidades que as ausências destes jogadores trouxeram. Não está um, acaba por jogar outro."

Margem para crescer

"Os adeptos têm todo o direito de se manifestarem, umas vezes contra, outras vezes a favor. Obviamente que temos de aceitar, compreender, umas vezes concordando mais, outra vez menos. Olhando para aquilo que é a história e a exigência deste Clube e dos nossos Sócios, também eu queria chegar aos dez minutos de jogo e estar a ganhar por 2 ou 3 a zero, mas não jogamos sozinhos e temos de reconhecer competência aos nossos adversários e também algum demérito nosso. Reconhecemos que nem tudo está bem e acreditamos que temos margem para crescer enquanto equipa, é esse o nosso trabalho. Queremos sempre mais e melhor!"

Benfica-Boavista

Tranquilidade e confiança

"Tudo o que seja estar mais próximo do que é um dos objetivos a atingir é gerador de confiança. Da mesma forma que trabalhar em cima de vitórias traz sempre mais confiança e conforto do que trabalhar fora delas. Animicamente não sinto a equipa desconfortável nem em baixo. Temos de olhar para o todo, e o todo é olhar para a forma como atacamos, defendemos, transitamos, tendo consciência de que quando ganhamos é sempre mais confortável. Sinto a equipa a dar uma resposta positiva, a querer melhorar, a querer apresentar-se melhor. Tudo isto é um processo contínuo e temos de trabalhar sobre isso."

Há pressão em ganhar esta final?

"A pressão é a mesma. Desde o início da época que a conquista da Taça da Liga é um dos objetivos. Temos a consciência da posição que ocupamos na Liga Portuguesa e não abdicamos de lutar pela sua conquista. Estamos na final da Taça da Liga e, com mais ou menos pressão, nós sabemos que é um dos objetivos e é por isso que vamos lutar no sábado, com o Sporting ou com o Santa Clara."

Réplicas Oficiais 2x1

Texto: Sónia Antunes
Fotos: Isabel Cutileiro / SL Benfica
Última atualização: 26 de janeiro de 2022

Patrocinadores principais do Futebol


Relacionadas

Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar