Futebol

12 setembro 2022, 10h02

Florentino

ENTREVISTA

Florentino, médio do Sport Lisboa e Benfica, sublinha, em entrevista à Betano MAG, que as águias são "uma equipa muito focada" nos objetivos que têm pela frente e manifesta o desejo de colocar o Clube sempre nos "níveis mais altos".

Titular em todos os (11) jogos já disputados na presente temporada, após duas épocas de cedência por empréstimo ao Mónaco (França) e Getafe (Espanha), o médio formado no Benfica Campus deu conta da "maturidade" que adquiriu no período em que esteve fora da Luz, assim como realçou alguns dos pressupostos inerentes ao futebol praticado pela formação comandada por Roger Schmidt.

Florentino, que, revelam os dados da plataforma Wyscout, tem uma média de 11,46 recuperações de bola no meio campo do adversário em 2022/23, sendo o segundo jogador com mais passes (455) efetuados na Liga Bwin, apenas atrás de Enzo (601 passes), avalia a dupla que tem feito com o jovem argentino e antecipa o que fará quando marcar o seu primeiro golo no Estádio da Luz.

Florentino

Como está a ser este regresso ao Benfica depois de duas épocas no estrangeiro?

Está a ser um bom regresso a casa, tanto individualmente como coletivamente, que é o mais importante. Temos conseguido alcançar os objetivos propostos no início da época.

Sente-se um jogador importante no Benfica e com maior responsabilidade?

Sinto-me com a mesma responsabilidade dos outros anos em que representei o Benfica. Cada jogador que representa o Benfica tem uma responsabilidade, que é dar o seu máximo e contribuir para que o Clube esteja nos níveis mais altos. 

Os dois anos que passou fora foram importantes para a sua evolução?

Sim, sinto que foi muito bom para a minha evolução profissional e pessoal. Mais no Mónaco, passei a fase da pandemia, estava com a minha mulher, só os dois, recém-casados, e aprendemos a viver um com o outro. Foi uma época de muito crescimento, foi quando ela ficou grávida. Estive em dois contextos diferentes de futebol que me ajudaram a ter mais experiência, o que se reflete hoje.

Florentino

"Está a ser um bom regresso a casa, tanto individualmente como coletivamente, que é o mais importante"

Florentino

Tem jogado a titular. Esperava apresentar um nível tão alto neste regresso?

Esperava regressar dando o meu contributo, como disse anteriormente, e é isso que estou a fazer a cada dia. Sempre que me chamarem para ir lá para dentro vou dar o melhor pelo Sport Lisboa e Benfica.

Tem feito dupla com Enzo. Como avalia essa parceria?

Creio que é uma boa relação com o Enzo, mas se fosse com outro jogador também o seria. É isso que treinamos a cada dia, porque não estamos habituados a um só jogador, estamos habituados a todos. Temos de estar prontos para qualquer situação. [Enzo] É um jogador com muita qualidade.

Quando tem um parceiro novo no meio-campo costuma ver vídeos do futebolista para o estudar e conhecer?

Para ser sincero, não costumo ver muitos vídeos. Normalmente conheço-os quando começo a treinar com eles. Para mim é fácil adaptar-me a qualquer jogador. Na minha posição, quando jogo com um jogador ao meu lado, neste caso jogamos com dois médios-defensivos, tento não fazer o que ele faz e o que eu não faço vejo que ele faz. Tento que haja um equilíbrio, porque se estivermos os dois a fazer a mesma coisa não tiramos proveito.

Florentino

"Na época em que saí do Benfica [2020/21] não estava a ter muito tempo de jogo, vi que era necessário sair e ganhar maturidade. [...] Comecei a ganhar mais maturidade. Sinto que foi muito positivo"

Disse que veio mais maduro das épocas no Mónaco e Getafe. Em que se traduz essa maturidade?

Em mais experiência, porque há coisas que só se ganham jogando. Na época [2020/21] em que saí do Benfica não estava a ter muito tempo de jogo, vi que era necessário sair, adquirir tempo de jogo e ganhar maturidade. Foi isso que aconteceu. É muito bom ter teoria, mas quando se passa para a prática é que se percebe realmente como são as coisas. Tive mais tempo de jogo no estrangeiro e comecei a ganhar mais experiência. Sinto que foi muito positivo.

No Mónaco jogou com Cesc Fàbregas, um grande nome do futebol mundial. Como foi a experiência?

Foi muito bom jogar com ele. Quando soube que ia representar o Mónaco e que o [Cesc] Fàbregas estava lá, que é um nome muito sonante, fiquei muito contente. Tinha uma curiosidade muito grande para saber como era a sua maneira de treinar e de jogar. Ele estava incluído numa equipa que gosto de ver jogar futebol, que é o Barcelona, na altura em que ganharam muitos títulos, e consegui perceber que é uma pessoa muito simples, apaixonada por futebol e que, apesar de ter muitos anos de alto nível, quer sempre mais. Aprendi muito com ele. Uma vez estávamos numa conversa à mesa e ele perguntou quem era o meu ídolo. Eu disse que era o Sergio Busquets, e o Fàbregas, que é muito chegado ao Sergio, falou com ele e deu-me uma camisola assinada. Significou muito para mim. 

Como tem sido trabalhar com o treinador Roger Schmidt?

É um treinador com muito boas ideias, que quer sempre uma equipa muito pressionante, ofensiva, que dispute o jogo pelo jogo e que faça o que treina, acima de tudo.

Roger Schmidt referiu publicamente estar impressionado consigo. Estas palavras dão-lhe mais responsabilidade e confiança?

Sim. Claro que é bom ouvirmos essas palavras do nosso treinador, mas dá mais responsabilidade, porque sei que tenho de continuar a esse nível. O treinador confia em nós, tal como o Clube confia em mim e em qualquer jogador. É responsabilidade nossa mostrar dentro de campo, de três em três dias, ou de quatro em quatro dias, do que somos capazes.

Florentino

"Roger Schmidt é um treinador com muito boas ideias, que quer sempre uma equipa muito pressionante, ofensiva, que dispute o jogo pelo jogo e que faça o que treina"

Que diferenças encontra neste Benfica para o Benfica de há duas épocas, quando foi emprestado pela primeira vez?

As equipas têm sempre as suas particularidades. Claro que o Benfica de há duas ou três épocas era uma equipa muito boa, muito competitiva. Nas duas épocas em que estive emprestado ainda fiz as pré-épocas no Benfica. Na última carimbámos o acesso à Liga dos Campeões, com o PSV, na outra não carimbámos, mas eram equipas muito competitivas e que quando vim no início estavam muito bem. O que posso dizer aos adeptos é que a equipa está muito focada e tem na sua mente os objetivos para a época.

Vê o Benfica como um dos grandes candidatos ao título?

Candidatos ao título há o Benfica e outros. Vamos olhar passo a passo. Está na nossa mente, mas de momento olhamos passo a passo. 

Na época passada o Benfica chegou aos quartos de final da Liga dos Campeões. Esperam pelo menos igualar esse feito?

Foi um grande feito chegar aos quartos de final. É uma coisa que, cada vez mais quando o Benfica está nestas eliminatórias, é boa para o Clube. Leva o nome do Benfica ao mais alto nível, que é a Europa. 

O plantel do Benfica tem muitos jogadores jovens e alguns jogadores recém-chegados. Como é o ambiente?

O ambiente é muito bom, porque há um bom "mix" entre juventude e experiência. Esse "mix" é levado para campo e é assim que mostramos a nossa ousadia.

Florentino

"O que posso dizer aos adeptos é que a equipa está muito focada e tem na sua mente os objetivos para a época"

Há algum colega com quem tenha uma maior relação de amizade?

Dou-me muito bem com todos para ser sincero. Há três anos dava-me muito bem com o Gedson [Fernandes], por exemplo, que era um jogador que estava comigo desde o meu primeiro ano de Benfica. Dou-me bem com todos, mas normalmente dou-me mais com os jogadores da formação.

Há algum líder de balneário com quem procure aconselhar-se?

Em termos de herança posso olhar para o Nico Otamendi, é uma referência para o balneário, um capitão. Em aprendizagem, aprendi muito com o Weigl. Quando chegou já o conhecia, era um bom jogador e confirmou-se quando veio para o Benfica. Sempre me ajudou e deu conselhos. 

Chegou ao Benfica muito cedo. O que recorda desses primeiros dias nas escolinhas do Clube?

Foram dias inesquecíveis. Um dos momentos que me ficaram na cabeça até hoje foi o dia em que assinei pelo Sport Lisboa e Benfica. Foi num jogo que estava a jogar contra o Benfica, nos Pupilos do Exército, no Real Massamá. O jogo estava-me a correr bem e no final o Benfica perguntou se eu queria assinar. Fiquei muito contente com essa possibilidade. Já tinham falado com os meus pais e tratado de tudo. Foram a minha casa para assinarmos os documentos e ficou tratado naquele dia.

Por tudo isso, sente o Clube de forma diferente? Quando entra em campo tem um sentimento especial?

Todos os dias que entro no Estádio da Luz e todos os dias que há jogo, há um nervoso miudinho. Desde criança que tinha o objetivo de chegar à equipa principal do Benfica. Hoje faço parte da equipa principal e é um sonho.

Só quis ser jogador de futebol? Nunca quis ter outra profissão?

Sempre quis ser jogador de futebol, mas tinha duas profissões de que gostava e que não tinham nada a haver. Queria ser rececionista de hotel ou astronauta. Gosto da natureza e acho que qualquer pessoa teria a curiosidade de estar no espaço. Se me dissessem "Florentino, podes ir para o espaço, porque nada te vai acontecer", eu era o primeiro a ir.

Florentino

"Desde criança que tinha o objetivo de chegar à equipa principal do Benfica. Hoje faço parte da equipa principal e é um sonho"

Qual o treinador que mais o marcou na sua carreira?

Muitos treinadores me marcaram. Seria injusto dizer que um ou outro me marcou mais, porque foram fases diferentes e cada treinador, na formação ou no futebol profissional, ajudou-me a crescer. Todos de uma maneira diferente, mas todos de uma maneira muito positiva.

Nunca foi de marcar muitos golos e, aliás, só apontou um pela equipa principal do Benfica. Existe alguma razão?

É verdade, nunca fui jogador de marcar golos, mas estou a treinar para isso. Vamos ver se é nesta época.

O único golo que marcou não foi no Estádio da Luz. Já pensou como vai festejar quando marcar na Luz?

Acho que vou fazer dez festejos. Vou festejar tudo e gastar o plafond dos festejos.

Tem algum ritual que cumpra antes dos jogos para dar sorte?

Não sou uma pessoa com rituais. Sou muito espiritual e apegado a Deus. Antes do jogo tenho uma oração que faço com ele, muito sincera. Não peço para ganhar nem perder, mas peço que me proteja e que o propósito que tem para a minha vida seja concretizado. 

Texto: Redação
Fotos: Arquivo / SL Benfica
Última atualização: 12 de setembro de 2022

Patrocinadores principais do Futebol


Utilizamos cookies para enriquecer a sua experiência de navegação.
Ao continuar a navegar no nosso site está a concordar com a nossa política de utilização de cookies.

Aceitar